Uncategorized

A importância e evolução dos amortecedores no automóvel

Amortecedores: o papel fundamental na segurança e dirigibilidade

A suspensão de um veículo desempenha um papel crucial na estabilidade, conforto e segurança. Dentre os componentes que a compõem, os amortecedores se destacam por controlar a movimentação das molas e manter os pneus em contato permanente com o solo, garantindo uma direção mais estável e segura.

Amortecedores desgastados: mitos e verdades

Há muitas dúvidas e equívocos em torno dos amortecedores, então vamos esclarecer alguns mitos e verdades sobre esse componente essencial:

1. Mito: Passar por lombadas ou valetas na diagonal pode danificar os amortecedores. Verdade: sim, os movimentos torcionais do carro podem gerar folgas excessivas, ruídos e até mesmo travamento total dos amortecedores.

2. Mito: Trocar apenas um dos amortecedores é suficiente. Verdade: a eficiência pode ser comprometida se apenas um par (dianteiro ou traseiro) for substituído, o ideal é trocar ambos os pares em cada eixo.

3. Mito: Os amortecedores devem ser substituídos a cada 40.000 km. Verdade: o intervalo de substituição pode variar de acordo com as condições de uso do veículo e os amortecedores ineficientes aumentam a distância de frenagem em até 2,6 metros a 80 km/h.

4. Mito: Peças recondicionadas são uma opção viável. Verdade: é recomendável optar por marcas conceituadas e desconfiar de preços muito baixos, pois amortecedores ineficientes comprometem a segurança do veículo.

5. Mito: Amortecedores desgastados não afetam a dirigibilidade. Verdade: eles comprometem a estabilidade, aumentam a distância de frenagem e podem causar balanços e trepidações excessivas. Além disso, o balanço excessivo afeta a iluminação dos faróis, prejudicando a visão dos motoristas no sentido oposto.

6. Evolução dos amortecedores

Os amortecedores tiveram uma evolução significativa ao longo dos anos. Inicialmente, seu controle era mecânico, passando posteriormente para um sistema hidráulico e, mais tarde, foram introduzidos os amortecedores adaptativos, integrados ao controle dinâmico de condução ou chassi. Atualmente, a eletrônica está presente nesses amortecedores, fornecendo modos de condução que os tornam mais macios ou duros conforme a escolha do condutor.

A Citroën também introduziu uma tecnologia inovadora, denominada Progressive Hybraulic Cushions, que proporciona um amortecimento suave em três estágios através da distribuição de fluído hidráulicos em níveis de maior ou menor compressão.

Composto por cerca de 50 partes, o amortecedor funciona com o princípio da hidráulica, onde o fluído é transportado de uma câmara inferior para uma superior, sendo inseridos ar comprimido ou gás de nitrogênio no sistema pressurizado. Sua resistência controla o movimento geral, garantindo o conforto dos ocupantes e a segurança do veículo.

A importância dos amortecedores na dirigibilidade e na segurança veicular é indiscutível, por isso, é essencial esclarecer mitos e verdades sobre esse componente e estar atento às inovações que continuam a aprimorar essa peça fundamental para o desempenho dos automóveis.