Uncategorized

Álcool adulterado: o perigo desconhecido nos postos de combustível

A adulteração de álcool também é uma prática prejudicial nos postos de combustível, muitas vezes negligenciada pelas pessoas. Embora a atenção esteja frequentemente voltada para a gasolina adulterada, o álcool pode ser alvo desse tipo de fraude, com repercussões igualmente danosas para os veículos.

Existem duas maneiras de adulterar o álcool. A mais comum é a adição de água ao álcool hidratado, ultrapassando os limites permitidos por lei. Apesar de ser visualmente imperceptível, essa prática afeta o rendimento do veículo e aumenta o consumo devido à maior quantidade de água. Já o álcool anidro, utilizado na mistura da gasolina, pode ser adulterado com a adição de água, o que é proibido e pode ser identificado pela presença de corante laranja.

A fim de evitar cair nessa armadilha, os consumidores podem solicitar o teste de qualidade do combustível diretamente no posto de abastecimento, conforme estabelecido pela Resolução ANP 248 art.8º. Caso haja recusa em realizar o teste, é importante denunciar o ocorrido à Agência Nacional do Petróleo (ANP) através do telefone 0800-900-267. Além disso, é aconselhável abastecer em postos de confiança, exigir nota fiscal e monitorar o consumo de combustível, pois um aumento repentino no consumo pode indicar a presença de combustível adulterado.

O uso contínuo de álcool adulterado pode reduzir a vida útil do motor e causar danos graves, portanto, é essencial ficar atento a qualquer sinal de adulteração. No Estado de São Paulo, a Secretaria da Fazenda mantém uma lista atualizada na internet dos postos flagrados com combustível adulterado, fornecendo uma ferramenta adicional para os consumidores evitarem esse problema.

Compartilhe a sua experiência: já teve problemas com álcool adulterado no seu veículo? Apenas um aumento no consumo ou danos mais graves ao motor?