Uncategorized

As Gambiarras na Indústria Automotiva Brasileira

Quase todas as montadoras que atuam no mercado brasileiro já fizeram ou ainda fazem algumas gambiarras para oferecer soluções diferenciadas para os consumidores. O Chevrolet Agile, por exemplo, é considerado uma das maiores gambiarras da indústria automotiva brasileira. Os carros ‘gambiarras’ são modelos que nasceram reaproveitando componentes de outros veículos, alguns enfrentaram problemas com a pesada tributação brasileira. Mas, nem sempre esses modelos são ruins, alguns são bastante razoáveis, no entanto, outros sofreram com problemas que só um projeto novo poderia corrigir. Confira a seguir algumas gambiarras que marcaram a indústria automotiva brasileira. Na década de 70, a VW começou a planejar o sucessor do Fusca, que já não conseguia enfrentar concorrentes como o Chevette e o Fiat 147. O Gol foi lançado em 1980 com a plataforma adaptada do Passat, o motor 1300 arrefecido a ar (emprestado do Fusca) e com linhas inspiradas no Scirocco. Apesar do desempenho fraco, a melhoria veio com o motor 1600, também arrefecido a ar, com o estepe adaptado no bagageiro. A segunda geração, em 1994, também pode ser classificada como uma gambiarra. O Celta entrou na lista de gambiarras devido à sua origem: é um Corsa com roupa simples, aproveitando o motor do Corsa Wind de 1994 e a plataforma do Corsa A, lançado na Europa em 1983. O Linea, derivado do Punto, combinava elementos novos com a plataforma do Idea e motor derivado do Palio. O Ka original teve um facelift em 2001 que não aconteceu no Velho Mundo, e posteriormente a Ford desenvolveu um novo Ka, reaproveitando peças do modelo anterior e parte da estrutura da picape Courier. O Del Rey, feito sobre a plataforma inalterada do Corcel, também pode ser considerado uma gambiarra. A Volkswagen utilizou a plataforma B2 no Santana em 1991 e o Versailles, enquanto o Clio Sedan brasileiro era uma reestilização do Clio de 1999. O WR-V da Honda e o Captur da Renault também são exemplos de gambiarras, aproveitando peças e plataformas para atender ao mercado brasileiro. A Fiat Strada foi lançada em 1998 e passou por seis atualizações, enquanto a Montana foi considerada um Agile com caçamba, um Corsa B utilitário.