Uncategorized

Brasileiros recorrem a práticas ilegais para comprar carros de luxo no Paraguai

No Paraguai, é relativamente comum para os brasileiros obterem visto de residência, desde que comprovem residência efetiva no país. Entretanto, muitos residentes de Foz do Iguaçu têm adquirido o documento de forma ilegal com o objetivo de adquirir carros de luxo por preços mais baixos no país vizinho. No Paraguai, os automóveis chegam a custar menos da metade do valor praticado no Brasil.

Embora exista o risco de adquirir um veículo roubado no Paraguai, há lojas sérias e confiáveis que comercializam carros usados importados de diversos países de forma legal, com preços atrativos. Diferentemente do Brasil, que só permite a importação de carros com mais de 30 anos de fabricação, no Paraguai a exigência é de apenas 10 anos. Isso significa que em 2018, por exemplo, era possível adquirir um carro do ano de 2008, importado dos EUA, por um preço bastante interessante.

A obtenção da carteira de imigrante no Paraguai é relativamente simples. É possível adquirir o documento diretamente no setor de migrações por R$ 450, ou pagar aproximadamente R$ 2.000 para que um despachante realize o processo. Em ambos os casos, o documento é entregue em quatro meses, se adquirido legalmente.

Devido a essas práticas, o Paraguai se tornou um paraíso para a aquisição de carros usados importados. Alguns brasileiros alegam ter direito de usar veículos paraguaios em território brasileiro, citando a posse de propriedades no Paraguai e a declaração de todos os bens à Receita Federal brasileira por meio do Imposto de Renda. A obtenção ilegal da carteira de imigrante pode ser realizada em até 30 minutos, dispensando até mesmo exames médicos, exigidos para cidadãos estrangeiros.

Com a carteira em mãos, brasileiros adquirem carros por preços até 50% inferiores aos praticados no Brasil. A estratégia visa contornar as regras da Receita Federal, uma vez que os residentes no Brasil só podem ter bens estrangeiros por meio de um processo de importação. Legalmente, a importação de um carro do Paraguai implica no pagamento de uma série de impostos, podendo chegar a 123% do valor do veículo. Devido à dificuldade de comprovar a irregularidade, a polícia na região de fronteira raramente apreende carros com placas estrangeiras conduzidos por motoristas brasileiros.

Fonte: Gazeta do Povo via leitor Gabriel Palucoski