Uncategorized

Chevrolet Captiva vs Hyundai Tucson: a disputa dos SUVs médios em 2008

Em 2008, o Chevrolet Captiva foi lançado no mercado brasileiro com o objetivo de se destacar no segmento de SUVs médios e disputar a liderança da categoria. Enquanto isso, o Hyundai Tucson já consolidado no mercado, ocupava o primeiro lugar em vendas na categoria de utilitários-esportivos de porte médio.

O Chevrolet Captiva se destacava pelo maior refinamento, porte avantajado, lista de equipamentos recheada e conjunto mecânico mais potente do que o Hyundai Tucson. Equipado com um motor 2.4 litros a gasolina, o Captiva superava o motor 2.0 litros a gasolina do Tucson em potência. Seu visual moderno e a lista de recursos inovadores o diferenciavam dos demais carros do mesmo segmento, inclusive do Hyundai Tucson, um carro com projeto de 2004.

A dianteira do Captiva era marcada pela grade bipartida e os faróis bem recortados, enquanto as laterais tinham linha de cintura elevada e a traseira, lanternas angulosas em formato vertical. O acabamento em plástico preto conferia um ar de robustez ao Captiva, embora a ausência de acabamento no cano de escape fosse considerada um ponto negativo.

Internamente, o Captiva 2.4 apresentava um acabamento superior e era equipado com recursos exclusivos na categoria, como seis airbags, controles de estabilidade e tração, computador de bordo, sistema de som com comandos no volante, bancos revestidos em couro, entre outros. Seu motor 2.4 Ecotec conseguia entregar um desempenho superior ao do Hyundai Tucson, que possuía um motor 2.0 litros. Além disso, o valor de revenda do Captiva era destacado pelos vendedores, apesar da diferença na garantia.

Por sua vez, o Hyundai Tucson se destacava pelo bom custo-benefício, oferecendo quase os mesmos itens da Captiva por um valor significativamente menor. Seu motor 2.0 de 143 cv tinha um bom desempenho e consumo condizente com a proposta do carro. O Tucson GLS, modelo mais equipado da linha, oferecia recursos como sensor de luminosidade, vidros, travas e retrovisores elétricos, bancos revestidos em couro, direção hidráulica, entre outros.

Embora oferecesse um custo-benefício melhor, o Tucson parecia mais discreto em comparação com a imagem moderna e potente da Captiva. Ambos os veículos reuniam qualidades que certamente conquistariam muitos consumidores pelo Brasil.