Uncategorized

Custo do Seguro de Carro nos Estados Unidos e no Brasil

No atual cenário, deixar de pagar o seguro de um carro pode gerar preocupações constantes ao sair pelas ruas. No entanto, o custo do seguro também é algo a se considerar, sendo ainda mais alto para carros esportivos. Isso se deve não apenas ao potencial de exposição ao risco, mas também aos acessórios mais chamativos, como rodas maiores, adereços estéticos e faróis de neblina, que podem atrair a atenção de ladrões. Essas discrepâncias não estão restritas ao Brasil, pois nos Estados Unidos, um dos países mais desenvolvidos do mundo, critérios semelhantes são considerados na determinação do valor do seguro. No entanto, o preço final acaba sendo significativamente mais baixo, tal como acontece com vários outros produtos e serviços ofertados por lá.

No Brasil, o número de carros com seguro é significativo, pois o seguro de automóvel é uma proteção essencial para os proprietários. Já nos Estados Unidos, um levantamento realizado pelo site Insure.com revelou que o custo médio do seguro automotivo é de US$ 1.682 por ano em todo o país, com base em informações de 2.400 carros segurados em diferentes estados. As seguradoras americanas consideram diversos fatores na determinação do valor do seguro, incluindo o sexo e a idade do condutor, localização, situação financeira do proprietário, tempo de posse da carteira de habilitação, modelo do veículo, entre outros. Além disso, também levam em conta fatores que fogem ao controle do cliente, como leis de seguro, taxas de registros de furtos e roubos, e a porcentagem de motoristas sem seguro em um determinado estado.

Segundo a pesquisa da Insure.com, o estado da Flórida é o mais caro para o seguro automotivo nos EUA, com um custo médio de US$ 2.560, seguido por Louisiana, com US$ 2.546. Enquanto isso, Ohio se destaca por oferecer o seguro mais acessível, com uma média de US$ 1.023. Esses dados refletem a complexidade e as variáveis envolvidas na determinação do custo do seguro de automóveis nos Estados Unidos, contrastando com a realidade observada no Brasil.