Uncategorized

Os 15 carros com os piores nomes: uma análise dos nomes infelizes em diversos mercados

O exercício de criar um nome para um novo carro pode gerar palavras interessantes, mas também nomes que soam mal em diferentes idiomas. A seleção a seguir destaca os 15 carros com os piores nomes, considerando tanto veículos ainda em circulação quanto aqueles já fora de linha. Primeiramente, abordaremos modelos com nomes infelizes no mercado brasileiro ou que soam inadequados para os brasileiros. Em seguida, exploraremos carros com nomes ridículos em outros idiomas.
1. Pinto: Nome do sedã compacto da Ford comercializado nos Estados Unidos entre 1971 e 1980. O modelo serviu de base para a segunda geração do Ford Mustang.
2. Xsara Picasso: O nome da minivan da Citroën é uma homenagem ao pintor espanhol, mas também pode remeter a algo de tamanho avantajado, gerando piadas involuntárias.
3. Chana: Marca de carros que chegou ao Brasil em 2006 com uma linha de veículos utilitários, mas que teve que mudar seu nome para “Changan” devido à interpretação negativa.
4. Besta: Van da Kia Motors comercializada no Brasil entre 1993 e 2005, cujo nome pode remeter a diversos significados, incluindo ofensas.
5. Escort: Popular da Ford que teve presença no mercado nacional de 1983 a 2004, mas cujo nome pode ter conotações negativas em outros idiomas.
6. Daihatsu Naked: Kei car vendido entre 1999 e 2006 no Japão, com um nome que teria criado problemas se comercializado em países de língua inglesa.
7. Mitsubishi Pajero: O SUV de porte médio da Mitsubishi teve que ter seu nome alterado para Mitsubishi Montero em países de língua espanhola, devido ao significado negativo de ‘Pajero’.
8. Mazda Laputa: Modelo vendido apenas no Japão, com um nome que em espanhol significa ‘caca de nariz’.
9. Buick LaCrosse: Em francês, ‘LaCrosse’ pode remeter ao ato de masturbação, o que pode ter impactado a aceitação do carro em alguns países.
10. Chevrolet Nova: O modelo americano teve dificuldades para vender na América Central e do Sul, onde o nome pode soar como ‘não vai’ em espanhol.
11. Honda Fit (Fitta originalmente): O nome original do Honda Fit, ‘Fitta’, tem um significado negativo em países nórdicos, o que levou à mudança para ‘Fit’ e ‘Jazz’.
12. Dodge Swinger: Nome associado aos Dodge Dart de duas portas, com conotações negativas em revistas adultas e nas concessionárias.
13. Ford Gremlin: Compacto da década de 70 com um nome que remete à criatura mitológica que engana e dá problema.
Estes exemplos demonstram como a escolha de nomes para veículos pode gerar interpretações negativas, seja em um mercado específico ou em diferentes idiomas ao redor do mundo.