Uncategorized

Os carros gêmeos do mundo automotivo: coincidência ou falta de criatividade?

A semelhança entre carros pode ser explicada por diversas razões, como alianças entre fabricantes, mudanças de designers, coincidências ou falta de originalidade. Conheça a história de dez modelos que surpreendem pela semelhança. O Uirapuru, fabricado pela Brasinca do Rio Grande do Sul, apresentado em 1964, possui uma versão conversível rara. Com motor 4277 cm³ e 155 cv, suas características se aproximam do modelo inglês lançado em 1966. O BMW Série 3 E21 e o Alfetta possuíam semelhanças na tração traseira, motorização de 1.6 a 2.0 litros e peso equivalente. O X5 da BMW e o chinês da ShuangHuan, lançado em 2007, apresentavam diferenças significativas nos motores, evidenciando a evolução tecnológica dos modelos da BMW. Já o Lifan 320, com seu motor 1.3 16v e preço acessível, se assemelha, à distância, ao Mini Cooper. A linha F da Ford, representada pela F150, F250 e F350 SuperDuty, contrastava com a JAC 4r3 em termos de motorização. A Chery e o Daewoo, com modelos semelhantes, ilustram a concorrência entre marcas. O Chevrolet Tracker e o Suzuki Vitara, frutos da Autolatina, compartilhavam motores e trajetória conturbada de importação. Os modelos Verona e Apollo, fruto da aliança entre Ford e VW, apresentavam poucas diferenças em acabamento e motorização. Já o Volkswagen Santana e o Ford Versailles, lançados em 1991, possuíam semelhanças mecânicas, apesar das diferenças visuais. Por fim, o Subaru BRZ e o Toyota FT-86 surpreendem pela quantidade de características em comum, incluindo chassis e motor. Esses exemplos ilustram como a indústria automotiva é marcada por casos de modelos gêmeos ou clones, decorrentes de diversas circunstâncias e estratégias das montadoras.