Uncategorized

Quando os carros se confundem: histórias de gêmeos automotivos

Os sósias de quatro rodas que circulam pelas ruas ou se estacionam nelas muitas vezes nos confundem. A falta de criatividade é a primeira impressão para explicar a existência de gêmeos ou clones automotivos, mas alguns outros motivos além desse podem justificar essa semelhança impressionante. Alianças entre fabricantes, designers que mudaram de emprego, coincidências ou simplesmente pura cara-de-pau podem estar por trás desses casos. Vamos explorar a história de dez carros que são, como dizia minha avó, “cara de um, focinho do outro”.

1. Brasinca 4200 GT / Uirapuru: O Uirapuru, apresentado no Salão do Automóvel de 1964, inicialmente chamado de Brasinca 4200 GT, foi fabricado pela Brasinca do Rio Grande do Sul. Esse belo desenho pode ter inspirado o modelo inglês lançado em 1966. Utilizava o trem de força dos utilitários da linha C da Chevrolet, com 4277 cm³ e carburação tripla que levou o motor a render 155 cv. Foi testada uma excelente transmissão Borg Warner do Corvette, com 4 marchas, mas foi descartada devido à difícil importação.

2. BMW Série 3 E21 e Alfa Romeo Alfetta: Ambos os carros compartilhavam semelhanças na década em que foram feitos, desde o porte e o desenho, até a estratégia de motorização. Eram oferecidos com 2 ou 4 portas, com peso equivalente e motores pequenos e competentes como carro chefe. O BMW Série 3 E21 oferecia opção de câmbio automático de 3 marchas e sua transmissão standard era mecânica de 4 marchas. O italiano Alfetta oferecia apenas câmbio mecânico, mas com 5 marchas. Havia também uma versão GTV com 2.6 litros e quase 200 cv na versão cupê fastback.

3. BMW X5 e ShuangHuan CEO: O X5, SUV de sucesso da BMW, apresentado em 2001, veio ao mundo com muita tecnologia, como sistemas de controle de tração e estabilidade e tração integral com dispositivo de controle de velocidade em descidas acentuadas. Por outro lado, o chinês ShuangHuan CEO oferecia em 2007 uma versão 4×2, com 4×4 como opcional e motor Mistubishi 4 cilindros de 135 cv. Atualmente, a evolução dos BMW oferece motores V6 e V8 biturbo com injeção direta, enquanto o chinês desapareceu do mercado.

4. Mini Cooper e Lifan 320: O Lifan 320 engana de longe e parece ser um Mini Cooper, mas suas diferenças se destacam ao se aproximar. Enquanto o Mini oferece modernos motores BMW 1.6, o Lifan traz um motor 1.3 16v com 88 cv, ABS e duplo airbag, rodas com aro 14 e um preço mais acessível.

5. Ford F-Series e JAC 4R3: A linha F da Ford, composta por picapes como a F150, F250 e F350 SuperDuty, apresenta motores potentes e diversidade de opções. Por outro lado, a JAC 4R3 oferece apenas um motor 2.8 4 cilindros a Diesel com 110 cv e câmbio manual de 5 velocidades. Ambas têm a aparência de um panda, mas as semelhanças param por aí.

6. Daewoo Matiz e Chery QQ: Embora a Chery tenha se esforçado para oferecer um produto correto, o Daewoo Matiz, feito pela marca que se tornou Chevrolet em todo o mundo, continua competindo no mercado. Suas diferenças técnicas e de desempenho tornam esses carros aparentemente iguais mais distintos do que se poderia imaginar.

7. Chevrolet Tracker e Suzuki Vitara: Frutos da parceria entre Ford e VW no Brasil, os médios Verona e Apollo foram lançados em 1990 e compartilhavam quase tudo. Compartilhavam motores, componentes e acabamentos, mas tinham diferenças sutis em detalhes de design e acabamento.

8. Ford Versailles e Volkswagen Santana: A semelhança entre esses modelos de carros médios vai muito além do visual, com ambos compartilhando motores e câmbios da VW. O Versailles teve até uma versão perua, a Royale, criada para não brigar com a irmã e, apesar das diferenças sutis, a preferência do mercado definiu a trajetória desses modelos.

9. Subaru BRZ e Toyota GT86: O Subaru BRZ e o Toyota GT86 têm muitas semelhanças, inclusive chassis e motor. Ambos são cupês dotados de tração traseira, destoando do que é tendência nos carros pequenos e médios atualmente, que oferecem tração dianteira ou integral derivada da tração dianteira.

Esses exemplos de gêmeos automotivos nos mostram que a indústria automobilística é repleta de histórias surpreendentes e revela como a criatividade e a competitividade podem levar a semelhanças notáveis entre modelos de diferentes marcas. Muitas vezes, a linha que separa a influência, a inspiração e a cópia é tênue, e a história desses carros nos lembra que a originalidade nem sempre é a única força motriz por trás da indústria automobilística.