Uncategorized

Vantagens e desvantagens do GNV: economia e impactos no motor

Muitos proprietários de automóveis têm enfrentado os frequentes reajustes nos preços da gasolina e do etanol, e uma alternativa para driblar esses gastos é a conversão do veículo para o GNV (Gás Natural Veicular), um investimento que varia entre R$ 5 mil e R$ 7 mil. Essa opção tem sido considerada viável, principalmente por aqueles que utilizam o carro para trabalho, como taxistas, motoristas de aplicativo e frotistas, pois o investimento inicial costuma ser recuperado facilmente.

No entanto, apesar das vantagens, o GNV também apresenta desvantagens. A seguir, foram reunidas 10 vantagens e desvantagens desse tipo de combustível automotivo:

1. Economia: De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Gás Canalizado (Abegás), o GNV é cerca de 43% a 58% mais econômico que a gasolina e de 44% a 66% mais eficiente que o etanol, proporcionando uma significativa economia financeira e menos idas ao posto de combustível.

2. Menor impacto ambiental: Em comparação com os combustíveis líquidos, o GNV emite cerca de 20% menos dióxido de carbono (CO2) na atmosfera em relação à gasolina e 15% menos em comparação com o etanol, contribuindo para uma menor poluição do meio ambiente.

3. Manutenção dos bicos injetores: Por ser um combustível mais limpo, o GNV não deixa acumular resíduos nos bicos injetores, como ocorre em modelos abastecidos com combustíveis líquidos, o que contribui para uma maior durabilidade desses componentes.

4. Vida útil do óleo lubrificante: O gás não se mistura e nem contamina o óleo lubrificante do motor, aumentando a vida útil do líquido e resultando em uma menor formação de resíduos da combustão, mantendo o óleo mais limpo e permitindo intervalos maiores entre as trocas.

5. Durabilidade do sistema: O sistema movido a GNV pode durar até 20% a mais do tempo em comparação com o conjunto abastecido com combustível líquido, devido à ausência de acúmulo de água proveniente da gasolina e do álcool.

No entanto, também existem desvantagens a considerar, como por exemplo:

1. Possibilidade de fissuras: Devido à maior pressão do sistema, a possibilidade de pequenas fissuras nos componentes aumenta, exigindo manutenção adequada e seguimento das recomendações das empresas de conversão.

2. Desgaste dos cabos de vela: Com o uso do GNV, os cabos de vela podem se desgastar em um período menor do que o ideal, reduzindo sua vida útil pela metade, de 30.000 quilômetros para cerca de 15.000 quilômetros.

3. Problemas de lubrificação: Como os cilindros trabalham com um combustível seco, a falta de lubrificação pode causar avarias, sendo recomendado o uso de gasolina ou álcool por 5 km diários para mitigar esse problema.

4. Perda de potência: A instalação do GNV pode resultar em uma ligeira perda de potência do motor, cerca de 3% em relação ao motor movido à combustão, devido às características do GNV de Geração 5.

5. Perda da garantia de fábrica: A instalação do kit GNV em um carro novo implica na perda da garantia de fábrica cedida pelo fabricante do veículo, que geralmente tem duração de cinco ou até seis anos, dependendo da marca.

Diante desses pontos, é fundamental que os proprietários de veículos considerem cuidadosamente as vantagens e desvantagens do GNV antes de realizar a conversão, avaliando o perfil de uso do veículo e os impactos financeiros e mecânicos a longo prazo.