Uncategorized

Verdades e Mitos sobre Amortecedores: Tudo o que você precisa saber

O amortecedor é uma peça fundamental da suspensão dos veículos, sendo responsável por controlar a movimentação das molas e manter os pneus em contato permanente com o solo, proporcionando estabilidade e boa dirigibilidade. Há muitas informações conflitantes sobre os amortecedores, por isso, é importante esclarecer algumas verdades e mitos sobre esse componente crucial.

Mito: Passar por lombadas ou valetas na diagonal pode gerar folgas excessivas, ruídos, empenamentos e até travamento dos amortecedores.

Verdade: Substituir apenas um dos amortecedores de cada par pode desequilibrar a eficiência da suspensão e prejudicar a dirigibilidade do carro.

Mito: O prazo médio para a verificação do equipamento é de 30.000 km, mas isso pode variar de acordo com as condições de uso do veículo.

Verdade: Amortecedores desgastados aumentam significativamente a distância de frenagem do veículo, podendo chegar a 2,6 metros a 80 km/h.

Mito: Peças recondicionadas podem ser uma opção econômica, porém desconfie de preços muito baixos e opte por marcas conceituadas no mercado.

Verdade: Amortecedores ineficientes comprometem o contato entre o pneu e o solo, o que pode resultar em aquaplanagem em velocidades mais baixas.

Mito: Amortecedores desgastados aumentam apenas o cansaço do motorista.

Verdade: Além do cansaço, amortecedores ineficientes comprometem a dirigibilidade, aumentando o risco de acidentes em até 26%.

Mito: Amortecedores desgastados comprometem apenas o conforto dos ocupantes do veículo.

Verdade: Além do conforto, amortecedores ineficientes podem comprometer a visibilidade, causando oscilações nos faróis e aumentando o risco de acidentes.

Além de esclarecer essas dúvidas, é fundamental conhecer a história e a evolução dos amortecedores. Criado em 1926 por August F. Meyer, fundador da Monroe, o sistema passou de mecânico para hidráulico e evoluiu para incluir sistemas de dupla ou tripla ação, amortecedores à gás, sistemas de calibração de rigidez, e mais recentemente, amortecedores adaptativos e o Progressive Hybraulic Cushions da Citroën.

O amortecedor, composto por cerca de 50 partes, funciona com o princípio da hidráulica, onde o fluído é transportado de uma câmara inferior para uma superior, enquanto o gás de nitrogênio ou ar comprimido é inserido nos espaços vazios, contribuindo para o amortecimento dos movimentos. Por conta da importância do amortecedor, é essencial desmistificar conceitos equivocados sobre o equipamento e buscar informações confiáveis para garantir a segurança, estabilidade e conforto ao dirigir.